I’m back bitches

…and I know everything.

-A

*brinks* / eu não sou um personagem icônico como -A, mas o fato importante é: I’M REALLY BACK!!!! Bom, pelo menos é muito muito muito importante para mim.

Esse post vai ser mais um esclarecimento para mim mesma e para ~meus fãs~ (lol) as pessoas que costumavam ler as coisinhas que eu postava.

Enfim, comecemos…

Por que eu parei de postar?

Eu juro que não sei. Não tem um motivo específico e eu realmente quero mudar isso. Eu, assim como muitas pessoas, tenho a grande habilidade de me desmotivar a fazer as coisas que eu mais gosto. E isso não é certo, e nem justo comigo mesma. Quando eu tive a ideia de fazer o blog, eu fiquei muito animada, tão animada que eu economizei todas as minhas mesadas para pagar o layout/hospedagem/domínio. O Blah Blah Blah é um projeto exclusivamente meu. O site todo é a minha cara e eu me esforcei muito para que fosse assim. Então, não vou abandonar algo tão condizente com pessoa que eu sou, e tão especial para mim.

Eu criei um canal no youtube no meio do ano passado. A volta do blog quer dizer que não vou mais postar vídeos?

Não! Pelo primeira vez, eu quero e estou ansiosa para conciliar os dois. Tem tanta coisa que eu quero abordar aqui, e acho que tem tópicos que pedem por um vídeo, e outros, não. Eu sempre fui muito tímida e os vídeos me ajudaram em relação à isso. Eu gostei de fazê-los muito mais do que imaginava e eu posso dizer que AMO mostrar produtos e literalmente falar sobre assuntos diversos em frente à uma câmera. Apesar de não ter muitas visualizações, fico realizada em ver que os meus vídeos tiveram x views <3

Eu vou postar com que frequência?

Ainda não tenho uma resposta para isso. Estou me organizando, mas pretendo postar um vídeo por semana em algum dia fixo (exemplo: toda segunda-feira) e postar todo dia alguma coisinhas aqui no blog. Mas não prometo. Sinto que já fiz isso demais, e nem sempre consigo cumprir. Isso não afeta as pessoas, mas com certeza me afeta. Então, não quero fazer promessas para mim mesma e me decepcionar. Mas, como disse antes, estou fazendo planos e estou animada com eles!

Ok. Sobre o que realmente é o Blah Blah Blah? Alguma coisa vai mudar no conteúdo?

No meu primeiro post aqui no blog, eu disse que esse seria o meu meio de falar sobre coisas que eu gosto e sobre assuntos que eu acho que devem ser falados. Essa ideia continua a mesma. Eu não quero ser um blog exclusivo de maquiagem, ou moda, ou culinária (…). Eu quero falar sobre o que me vier na cabeça, quero me expressar e muitas vezes, desabafar. Farei um post logo logo sobre o que o Blah Blah Blah representa pra mim, e pensei até em um vídeo. Quem sabe? :)

Image result for blah blah blah gif

 

Acho que por enquanto é isso. Espero que vocês gostem e acompanhem as minhas publicações. Vou tentar ao máximo me dedicar à isso porque me faz bem. E é isso que mais me importa agora: fazer coisas que eu amo, que me deixam feliz. Caso eu ganhe alguma visibilidade vai ser uma consequência disso!

 

xxxxx

 

it’s going to be LEGEN – wait for it – …………………..

 

blah

02 de abril de 2017

Como me sinto com 19 anos?

Image-1 (1)

Sabe quando a gente é criança e conta os dias do ano!  para a chegada do nosso aniversário? Para ganhar milhares de presentes, apagar as velinhas, correr com os amigos nas festinhas, comer muito bolo e salgadinho. Quando eu era bem pequenininha, eu dormia ansiosa para acordar de manhã com muitos beijos da minha mãe. Fui crescendo, e com isso, a ansiedade era para que o relógio marcasse meia noite e eu completasse mais um ano. Quem não sente falta disso tudo? Bem, eu sinto. Eu gosto do dia do meu aniversário, de comemorar com família e amigos, mas agora as coisas são diferentes. Não é como quando eu tinha 8 anos e fazia festa no colégio com os amigos também de fevereiro. Ou como quando você tem 14 e está ansiosa para fazer os 15 anos e entrar no ensino médio. Agora eu tenho 19. Dezenove anos. Ainda sou nova? Claro que sim. Mas apenas um ano me separa da fase adulta, e eu não sei como lidar com isso. É tão bom ser adolescente e ir descobrindo as coisas, sem ter obrigações além de estudar para o colégio. As coisas mudam a cada ano que completamos. Por exemplo, eu agora “tenho” que focar na faculdade mesmo sem a certeza de que o meu curso seja mesmo o que eu quero, e já pensar sobre o mercado de trabalho.

large (1)

É normal ficar confusa, perdida, mas também tem aquela pressão do tipo: “você já tem 19 anos (ainda não estou sabendo lidar), a vida não para até você se achar”. É verdade. A vida anda rápido demais. Parece que até ontem eu tinha 15 anos e estava no demibrasil vendo notícia da Demi Lovato, assistindo as primeiras temporadas de Pretty Little Liars (que são das melhores!) e Glee, e querendo ir para o colégio para encontrar os meus melhores amigos. Muita coisa mudou, mas ao mesmo tempo as coisas continuam iguais. Ainda sou fã da Demi, ainda vejo PLL (por mais que esteja zZzzZ), e tenho os mesmos melhores amigos, mas não vou mais ao colégio. E isso me faz tanta falta. E cada ano que passa, me distancia mais ainda dessa minha antiga realidade.

blahblahblah

Bom, acontece que desde os meus 16 anos eu comecei a desenvolver a Síndrome do Peter Pan. Minhas amigas riam de mim, mas agora elas também estão sentindo os mesmos sintomas que eu senti bem mais nova. Medo de crescer. Vontade de ser “forever young“. Não querer acelerar meu crescimento, sabendo que também não tem como para-lo. As obrigações e responsabilidades sempre me assustaram, e por mim, eu teria 16 anos para sempre. E, no fundo, eu ainda tenho essa vontade.

blahblahblah

Essa minha síndrome sempre vai fazer parte de mim, tenho certeza. Talvez por imaturidade, na concepção de algumas pessoas. Mas eu discordo. Acho que isso vai me manter com um espírito sempre jovem, e isso enche meu coração de alegria. Os anos vão passar, eu vou crescer e amadurecer mais e mais. Eu já vejo uma diferença nisso tudo. Agora, com 19 anos, eu ainda tenho medo, mas não me apavoro, e sou feliz com a certeza de que eu posso sair da adolescência, mas ela não vai sair de mim. Minha alma e meu coração são jovens, e afinal, nossa essência não sai de nós.

ForeverYoung

 

Esse post foi mais filosófico, mas eu precisava desabafar sobre isso. O próximo será sobre a minha festinha de 19 anos, num clima totalmente carnavalesco. Adivinha de que eu fui fantasiada! :x <3 #Mari19

 

08 de fevereiro de 2016

~* Metas para 2016 *~

“adeus ano velho, feliz ano novo” ……….

2016. 

12483622_991753160868514_742186465_n

Sim, nós já estamos em 2016. “Como assim?”, me pergunto. Passou “rápido”? Passou “devagar”? Depende do ponto de vista, não é? Eu vi milhares de pessoas no twitter, inclusive amigos meus, reclamando de 2015 e querendo que o ano acabasse logo. Mas eu, por exemplo, amei 2015. Na verdade, foi um dos meus anos preferidos, e pra mim, passou voando. Poderia ter sido melhor? Talvez sim. Apesar de eu ter tido um ano incrível, eu sinto que faltou alguma coisa. O que? Bom, eu sempre fui uma menina cheia de sonhos. Desde pequena sonho em ser cantora, mas minha vergonha era tão grande que eu não conseguia nem falar isso para as pessoas. Eu só consegui contar para os meus amigos em 2014, e ainda tenho vergonha. De postar vídeos também, etc. E essa minha timidez sempre me atrapalhou. Além disso, tem uma coisa chamada preguiça, que tem em mim, e acredito que em todo mundo, um poder bem grande. E a gente não tem ideia de como isso nos prejudica. Hoje eu vejo… Se você quer uma coisa, tem que lutar por isso. E não é pouco. Tem que se dedicar, focar, e não se deixar abater com as dificuldades. Isso todo mundo sabe, né? Mas só na teoria, na prática a maioria sem complica. Assim como eu. A verdade é que nós queremos tudo de maneira fácil. O maior exemplo disso são as milhares de pessoas que jogam na mega sena quando ela acumula. Quem não quer ficar milionário da noite pro dia por sorte? Eu joguei, minha mãe jogou, meu namorado jogou, minha amiga jogou. É normal. É certo? Não é errado, mas também não é o ideal. Não dá pra viver com base em sorte. E eu acredito que tudo é melhor quando é proveniente do seu esforço, dedicação e merecimento. Vejo que isso foi o que me faltou nesse ano: me dedicar mais às coisas que eu quero. Como esse blog, como os meus sonhos. Eu não fiz uma lista pra esse ano (até porque não cumpri praticamente nada da do ano passado, então vamos com calma), porque a minha única meta é: dar tudo de mim para ter minhas conquistas. E é o meu conselho para você também. Não espere o amanhã, o começar da semana (quem nunca disse que ia esperar segunda chegar pra começar aquela dieta?), ou até mesmo o inicio de um novo ano. Todo dia nós temos uma nova chance de fazer o que quisermos, nós não precisamos de um dia simbólico para isso. Só de força de vontade. Então vamos aproveitar todas essas chances para não sentirmos que faltou algo no final do nosso ano. Para não sentirmos uma dívida com nós mesmos. Para nos sentirmos completos, e quem sabe, realizados? Mesmo que não dê certo não vai ser por não ter tentado. E se der? Vai te fazer sorrir o ano inteiro, e tudo vai ter valido a pena.

Feliz Ano Novo! Feliz 2016 <3

large

HELL YEAH! :)

01 de janeiro de 2016
Navegue entre as páginas!1234
Topo